Estou interessada em construir uma poética pictórica onde o corpo físico e a virtualidade humana atuam juntos para criar uma experiência que se apresenta como a afirmação de potências humanas livres.  No processo de realização, busco liberar forças inconscientes coagidas por sistemas culturais globalizados de controle de subjetividade, introjetados na psique humana.

Com minha prática artística, quero descobrir percepções humanas ancestrais adormecidas, revelando potências virtuais que vem à tona com a ação do corpo físico no mundo concreto.

Meu trabalho se caracteriza por sua tridimensionalidade escultórica em cores fortes e vibrantes, conduzidas por uma gestualidade intensa, que carregam certa força primitiva não apaziguada pela cultura globalizada. Numa poética de sensações anteriores à palavra, elas expressam a vida como seres por nascer que recusam formas estabelecidas, provocando uma suspensão de certezas.

Com minha produção, afirmo a existência de um pensamento estranho na pintura, que não sabe o que pensa, mas pensa, e é aberto a múltiplas leituras. Vejo a pintura como um lugar onde se constitui uma ideia específica de pensamento que tem o inconsciente como um território de experimentação sensível de potências, fluxos de forças no seu processo de vir a ser, que une a sensação física e visual.

Os trabalhos invocam uma visão táctil, sinestésica, e dão a sensação de que vemos o mundo pelo lado do avesso e em constante movimento de transformação.

I´m interested in constructing pictorial poetics where the physical body and the human virtuality act together to create an experience that present itself as the affirmation of free human potencies. In its process of realization, I seek to release unconscious forces coerced by globalized cultural systems of subjectivity control introjected into the human psyche.

With my work I want to discover and reveal ancestral human perceptions, bringing to light virtual potencies that appear with the action of the physical body in the concrete world.

My work is comprised of a sculptural tri-dimensionality, in a variety of mediums, which encompass paintings, drawings on paper, digital drawings, collages, feltings and site-specific installations. I deploy vibrant and contrasting colors that are conducted through intense gestures: they carry a latent embryonic force that remains unabsorbed by the globalized culture. These colors and gestures are part of a poetics that precedes the verbal: they express life as if they were beings yet to be born, refusing conventional shapes, suspending certainties.

I consider painting as a medium in which a specific notion of thought emerges. I affirm the existence of a specific thought in painting that does not know what it thinks, but it thinks, and it is constantly open to multiple readings. That has the unconscious as a territory of sensible experimentation of potencies, of flux of forces in a process of becoming, joining both the visual and the physical sensations.

The gestures and shapes invoke a notion of visuality that is tactile, synesthetic, and provides the viewer with the sensation that the world is seen as if upside-down, in constant movement and transformation.